Archive for agosto \22\UTC 2010

Cronologias…

22 agosto 2010

Idade, ciclos, aniversário, tempo. Estava lendo o post da Manuela e voltei a refletir sobre estas coisas.
Ela é uma menina! Bem, ela mesmo comenta a respeito… Lembro-me de como eu era um garoto quando fiz 29 anos! Nem casado eu era, quiçá separado!! =D
Agora, quase dez anos depois, não vejo grande diferença… bem. Há muita diferença em termos de percepção… informação? Mas sinto-me tão ou mais jovem do que naquela época.
Tendo enfrentado todos os desafios que se impuseram a mim, observo tudo com muito mais tranqüilidade. Mas sempre tenho a impressão que só fui mudar ontem. Amanhã terei esta sensação.
Sim, também acho que vivemos em ciclos [não sei como alguém poderia ignorar isso]. Também acho que a cada término de um ciclo, inicia-se uma nova aventura, um novo desafio… um novo episódio!
E também achava que com trinta eu seria um “senhor”… hahah… o tempo é tão relativo! Lembro-me de que aos 12 achava que os guris da oitava série eram “homens”, lá com seus 16 anos! Depois, com vinte e tantos, achava que aos quarenta eu seria um HOMEM, experiente, bem-sucedido… Aqui a história não se repete: sinto-me muito mais além do que esperava pra mim aos 40 – e eu ainda não tenho quarenta!!
Meu sonho de criança era ser adulto. Meu maior sonho era ter 40 anos! Ainda realizarei este sonho! =D
Um dia, não sei qual, descobri-me adulto! Fiquei feliz! Outro dia, descobri-me maduro! Tive um orgásmo!!! Hhehehe… descobri que ser adulto não é o que se pensava quando não se era! Descobri que ser adulto é, simplesmente, ser Eu mesmo. Sem necessidade alguma de provar qualquer coisa para quem quer que seja. Nem pra mim. Agora, apenas decido coisas. E de acordo com minhas decisões, ajo. E posso mudar de idéia quando bem entender. E a diferença é essa: há momentos em que eu entendo que é hora de mudar de idéia! Antes eu insistia em coisas que decidia, mesmo se aquilo não tivesse mais sentido. Também posso determinar-me a realizar algo, por mais estúpido que seja, sem preocupar-me se parece uma tolice.
Liberdade é o nome do estado “maduro”.
Sinto, perfeitamente, que alcançarei outros estados de maturidade, ainda mais deliciosos! Sinto que há cada dia, a vida será “mais”. Sinto que a vida é, justamente, isso: Viver. E eu gosto!

Anúncios