Archive for setembro \18\UTC 2011

Difícil entender?

18 setembro 2011

Escrevo bastante… penso muito mais… expresso uma boa quantidade de idéias, verbalmente… oralmente.

Não sou compreendido…. alguns entendem parte do que digo… bom, falo específicamente sobre minhas idéias sobre relacionamentos.

Digo e, de fato, entendo assim, que as pessoas são livres; que não me preocupo se uma possível cônjuge tiver necessidade de outras aventuras… e nem se ela decidir ir-se com outra pessoa…. mas em nenhum momento eu disse que gosto disso.

Apenas entendo que de nada adianta eu pensar diferente. A realidade é como é.

Deixar-te livre não signfica desvalorizar o teu ser. Ao contrário, valorizo-te ao ponto de respeitar tuas escolhas.

Aceitar que experimentes outras sensações não é menosprezar-me. Ao contrário, é confiar muito em mim mesmo, ao ponto de crer que tu não encontrarás ninguém mais interessante.

É claro que eu preferiria que tu te sentisses satisfeita comigo. Mas a vida é feita de momentos e a cada momento, os humores podem mudar, as razões, etc…

A única coisa que exijo é “consideração”. A ÚNICA! E esta palavra é difícil de compreender… Tenhas consideração quanto ao que faço por ti, quanto ao que sinto por ti, quanto ao que coaduno contigo, ante teus sonhos, desejos, anseios, medos, metas e objetivos!

Quando estiveres comigo, sejas inteiramente minha (mesmo que seja só por algumas horas);

Quando tiveres algo importante para compartilhar, faça-o comigo;

Quando tiveres dúvidas, medos, necessidades de qualquer ordem…. procure-me;

Jamais tente “pensar por mim”… ao invés disso, questione-me! Antes de procurar outra pessoa para fazer algo que tu julgares que eu não quereria fazer contigo, pergunte-me se naquele momento eu não estarei a fim. Se eu não estiver, então podes procurar outra companhia…

Se achares que falhei, avise-me! Esclareça.

Diga sempre o que pensa e por quê.

Tudo pode ser entendido em diálogo. Talvez se entenda que o melhor é separar-se, talvez seja o ajuste. Mas o diálogo conduz à sinceridade, ao mais alto grau de confiança. E diante da sinceridade tudo pode ser reordenado. Diante da falsidade, da mentira, NADA pode ser feito. NADA. Jamais minta pra mim. Ao invés de mentir, diga que não quer falar sobre o assunto. Se tu mentires, NUNCA mais poderei acreditar no que dizes. NUNCA MAIS.

Talvez uma mentira gigantesca, seja necesária em algum momento… mas eu jamais tolerarei uma pequena mentira. Coisas pequenas não justificam mentiras. Mentiras gigantescas hão de ter uma explicação complicadíssima, compreensível, talvez. Talvez.